Chuva de arroz, véu… A história por trás das principais tradições de casamento

Por mais moderninhos que possam ser, na maioria dos casos, os casamentos sempre possuem ao menos algum vestígio de tradição. Seja no uso do buquê, do véu, da chuva de arroz…

Realmente, não dá para negar! Existem detalhes do grande dia que a gente não consegue abrir mão. Mas, você sabe de onde vieram e qual o motivo para existência desses costumes? Não?!

Como curiosos que somos  (e acreditamos que você também é! Rs), resolvemos ir em busca da história por trás das tradições, ou pelo menos algumas delas, que fazem parte de muitos casórios mundo a fora. Quer conferir o que achamos? Então, vem com a gente! 😉

véu

véu

A tradição do véu da noiva começou com os antigos Gregos e Romanos, que acreditavam na proteção da peça contra infortúnios e maus espíritos. Há ainda os que acreditam que o véu significava a separação da vida de solteira da de casada. Para os católicos, significa a honra e dignidade da mulher. Uma antiga deusa do amor babilônico, Ishtar, também estava com um véu quando surgiu das profundezas. Alguns acreditam que a utilização do mesmo tenha relação com ela. Seja ele curto ou super longo, o fato é que o véu ainda faz a cabeça de muitas noivas por aí.

 

 

WhatsApp Image 2017-01-22 at 21.54.56

buquê

Se na Grécia Antiga, assim como o véu, o buquê, com ramos de ervas e alho, era usado para espantar o mau olhado e atrair bons fluidos, no Palácio de Versalhes, no século XVII, o item ajudava a disfarçar o mau cheiro dos convidados que não eram muito chegados a tomar banho regularmente (rsrs). Já no período medieval, o buquê era formado por flores que a noiva ganhava no caminho de casa até a igreja.   No século XIX, chegou-se a acreditar que colocar açúcar no ramo de flores era a receita para manter o temperamento doce das noivas. Ah, e não podemos esquecer da crença de que, ao final da cerimônia, quando a noiva jogar o buquê, a mulher que pegar vai ser a próxima a casar. Por falar em buquê, temos lindas inspirações nesse post aqui.

 

chuva de arroz

Apesar de já ter sido substituída por opções, como as bolinhas de sabão ou os sparkles, a tradicional chuva de arroz ainda é usada por muitos casais depois do SIM. A tradição surgiu no Oriente. Símbolo de fertilidade, o arroz era jogado nos noivos também simbolizando o desejo de prosperidade e fertilidade a eles. Segundo a lenda, tudo teria começado quando um mandarim (alto funcionário público na China antiga) teria encomendado uma chuva de arroz para ser atirada sobre sua filha após a cerimônia de casamento, para demonstrar a todos sua riqueza e seu amor por ela.

damas de honra

Elas roubam a cena de muitos casamentos e são responsáveis por largos sorrisos durante a cerimônia. Mas, de acordo com o que se conta por aí, o motivo de fazerem parte do grande dia nem é tão fofo assim. Na verdade, é até meio sombrio. Segundo historiadores, a tradição de usar damas de honra no casamento remonta ao tempo dos romanos. As testemunhas, ou damas de honra exigidas num casamento romano, protegiam a noiva. Como? Enganando os maus espíritos para impedir que eles a reconhecessem. Por isso as roupinhas parecidas com o vestido de noiva.

 

lua de mel

lua de mel

O termo lua de mel vem do tempo em que o casamento era um rapto. Sim! Muitas vezes a união acontecia contra a vontade da noiva. O homem raptava a mulher e a escondia durante um mês, de uma lua cheia até à outra, num lugar afastado. Durante esse período, tomavam uma bebida fermentada, à base de mel, que devia durar 28 dias, o tempo do mês lunar. Já a lua de mel, tal como a conhecemos hoje, tem origens nos hábitos ingleses do século XIX, quando os recém-casados passavam uma época no campo para se libertar das obrigações sociais.

Interessantes essas histórias, né?!

Sabe de alguma história que não contamos? Compartilha com a gente! Quer conhecer alguma que não citamos? Conta pra gente que nós corremos atrás para saber e compartilhar com você!

Até a próxima! ♥

Veja também...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *