Nosso Casório | A saga do anel de noivado

O pedido aconteceu, estávamos felizes em começar essa nova fase, o anel de noivado era lindo, mas tínhamos uma questão: ele não parava no meu dedo!

Na hora que eu ganhei meu anel fiquei tão empolgada que disse que só estava um pouquinho largo e que ia me acostumar… Mas era uma enorme mentira. Se existisse bambolê de dedo, ele estaria apto a ser um! rsrs

Ah, mas se todos os problemas fossem esse, né?! Era só trocar. Mas aí surge outra questão: Felipe comprou o anel pela internet, mais de três meses antes do pedido acontecer e o prazo de troca era de 30 dias! Foi aí que a nossa saga começou…

Anel de Noivado gigantesco: Desvendando o mistério

Antes de continuar contando essa missão – ops, história – quero te dar uma dica. Se atente – muito – ao tamanho do anel, principalmente se vai comprar pela internet!!!
Isso porque, além de existirem vários tamanhos, a grade dos anéis do site onde Felipe comprou, por exemplo, segue a medida européia. De acordo com essa métrica, o meu número seria 54, o que corresponde ao 14 no Brasil. Mas ele comprou o 58, o que seria o 18!!! Ou seja… bambolê! rs O mais engraçado, é que na loja de bijuterias os anéis que cabem no meu dedo normalmente são 17, então ele não estava de todo errado, tadinho. Vai entender, né…

Enfim, voltemos a saga…

Eu não conseguia pensar na possibilidade de não usar o meu anel, então começamos a pensar em como minimizar o problema. A primeira opção: comprar um anel aparador! Chegamos a experimentar alguns, mas meu anel de noivado era tão grande que passava por cima do aparador tranquilamente. Então fomos para segunda opção: encontrar um ourives que “diminuísse” o tamanho do anel. De novo a ideia não deu certo. Como o modelo tinha pedrinhas em toda a circunferência, elas se soltariam durante o processo.

E agora, José?!

Só tínhamos uma opção: Mandar um email pra marca e torcer para que eles se comovessem com a nossa história (rsrs) e aceitassem trocar o anel quase 4 meses depois da compra. E não é que deu certo?! Alguns emails aqui, outros emails acola e conseguimos! Fomos orientados a escolher uma das lojas físicas “próximas” da nossa cidade que tinham o modelo que Felipe comprou, na medida certa. Escolhemos a de Niterói e aproveitamos para dar uma voltinha pela cidade.

Mas por que comprar pela internet?

Talvez, depois de ler essa história aí em cima, você esteja mesmo fazendo essa pergunta. A resposta pra ela é: A culpa é minha! rs Desde que começamos a falar em casamento, sempre citava que amava a ideia de ter um anel de noivado e não uma aliança.

Quando já tínhamos alguns anos juntos, comecei a brincar de enviar links de sites com anéis que achava lindos com aquela mensagem (naaada indireta) “Amei esse. Se quiser me dar um anel quando me pedir em casamento, pode ser esse!” rs Vai que cola, né mores?!

E deu certo!

Vale ressaltar que eu não sou a louca que vai pedir um anel de noivado totalmente fora da nossa realidade, tá migles? Meu anelzinho é lindo, de prata e com pedras de zircônia – a prima distante e acessível do diamante kkkk.

Aí, não demorou muito – acho que foi no mesmo dia até – para Felipe falar que não era porque eu tinha um anel que ele não usaria nada. Resumindo… comprou uma aliança pra ele! ♥

Ainda não viu nosso primeiro post da série? Clique aqui!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *