Pri & Gabes | Uma comemoração despojada e super criativa

Eles queriam um casamento leve, descontraído e sem protocolos. E assim foi. Uma comemoração despojada e cheia de criatividade. O grande dia da Priscila e do Gabriel é a prova de que tudo que é feito com amor e personalidade dá certo.

A Pri, como é conhecida pelos amigos, sempre foi muito religiosa e, por isso, não abriu mão da tradição de se casar na igreja. Ainda assim, a intenção do casal era fazer uma comemoração despojada. Por isso, a cerimônia aconteceu na Capela Nossa Senhora das Graças, em Nova Friburgo, e depois os convidados seguiram para a recepção no sítio Recanto dos Vassallo, no Alto do Mozer, também em Friburgo.

Super descolados e criativos, os noivos queriam que os convidados se sentissem à vontade e com total liberdade para circular pela festa e se servir. Para isso, montaram uma estrutura ao estilo festival, com ilhas gastronômicas em formato de barracas. No bufê assinado por Tati Lemos, massas, pipoca, sorvete, crepe suíço, algodão-doce, churros, nachos com 3 molhos mexicanos, batatas fritas com ketchup, bolo, refrigerante, suco, água, cerveja e caipirinha.

“Como o sítio era super lindo, achamos que seria legal as pessoas ficarem andando ao invés de passarem o tempo todo da festa sentados esperando comida. Os convidados iam até a barraquinha que queriam comer e pegavam, podiam inclusive começar pelos doces se quisessem. Não pensamos em nada tipo ‘o que as pessoas comem em casamento?’”

Foram nove meses para organizar todos os detalhes do casório para 120 convidados. E engana-se quem pensa que por se tratar de uma festa mais descolada a missão foi fácil, pelo contrário. Com a data definida, a primeira tarefa era encontrar o local ideal. Por terem escolhido o mês de setembro para dizer “sim” – considerado o novo “mês das noivas” – achar um espaço não foi simples. Mas a parte mais complexa da organização ficou justamente para o cardápio do evento.

“Fizemos uma lista de todas as comidas que a gente gosta e que seriam ok de comer em pé ou ao ar livre em um dia quente. Isso envolveu desde crepe até churros e sorvete. Mas não foi fácil encontrar uma empresa que topasse fazer o bufê como queríamos. Quando falávamos que seria para um casamento, os fornecedores tentavam nos convencer de escolher opções com ‘cara de casamento'”

Somos apaixonados por casamentos que transmitem leveza só de olhar as fotos e nos sentimos assim quando nos deparamos com o grande dia da Priscila e do Gabriel. Mas, além de transbordar amor, o que nos encantou nesse casório foi o respeito ao estilo dos noivos, em vários detalhes.

Decoração: Nem precisamos falar por aqui que nós amamos o bufê conforto e diversão criado pelos noivos, né? Para uma opção tão descolada, claro, uma decoração igualmente descontraída e criativa.

“Seguimos um estilo que misturou a pegada de um festival de food truck com um pouco de quadros negros de giz, flores simples e bastante coisa em chevron. Na real não teve uma referência que pesou mais, a gente meio que foi construindo a decoração colocando tudo o que a gente gostava”

Mãos à obra: Se tem uma coisa que também não faltou nesse casamento foi o querido DIY – Faça você mesmo. Sim, os noivos colocaram a mão na massa para fazer diversos detalhes do casório com a intenção de deixar tudo bem personalizado e, claro, economizar.

“Muita coisa nós mesmos que fizemos. O Gabriel faz lettering então todos os quadros de giz e itens de identidade visual que estavam lá ele que fez. Eu também fiz meu véu e as gravatas dos padrinhos. Também montamos potinhos de marshmallow colorido para substituir os docinhos tradicionais e servir como lembrancinha”.

Look da Noiva: Para um casamento descolado e ao ar livre, nada melhor que um vestido igualmente leve e despojado. O da Pri foi assim. Outro detalhe super legal nessa noiva foi que ela não abandonou o conforto para curtir a festa.

“O vestido de noiva foi na verdade composto por um vestido curto e uma saia longa removível. A ideia era que eu me sentisse bem à vontade. Vi esse vestido no site da loja O Amor é Simples em fevereiro, gostei e comprei. Além disso, tenho miopia e preciso usar óculos. Na cerimônia, eu até estava sem eles. Mas na festa eu usei. Preferi usar óculos e ficar bem feliz e de boas com meus convidados do que não ver ninguém por ‘convenção’”

Soltando a voz: Por último e não menos interessante, destacamos a diversão dessa festa. DJ? Banda? Pista de dança? Que nada! Os noivos escolheram um Karaokê!

“A pista de dança não fazia sentido pra gente pelo estilo da festa. Já o DJ me disse que, se eu o contratasse, ele poderia tocar umas músicas que a gente não curtia muito… então arranjamos um karaokê para que os convidados pudessem se divertir e nossos padrinhos montaram duas playlists maravilhosas pra deixar tocando durante a festa”

“Quando tava chegando perto, faltando umas duas semanas, demos uma pirada pensando se a galera iria entender nossa ideia e não sairia de lá achando que a gente fez uma festa nada a ver. Mesmo assim, confiamos no nosso instinto. Não fazia sentido pra gente fazer um casamento tradicional. Não seria a gente. Seria esquisito. Seria muito esquisito mesmo. E deu tudo certo! Foi muito especial e o que mais gostamos foi ver todo mundo feliz”.

Os cliques desse grande dia são de Dafne Bastos Fotografia.

 

Essa é mais uma história que começou graças a um amigo (já falamos que amamos os amigos, né? Pois é, amamos esses amigos/cupidos hahaha). Nessa ‘love story’, o nome do anjo, ops friend, é Vitor. Ele e Priscila se conheciam desde a época de escola e se falavam basicamente todos os dias por telefone. Onde o noivo se encaixa nessa história? É que toda vez que Vitor estava falando com a Pri, ele interrompia o assunto para mandar um recadinho: “- Gabriel tá mandando um beijo!”.

“Eu ficava até meio irritada, porque não conhecia o Gabriel e achava isso meio intrometido e nada a ver, rs. Até que um dia, Vitor marcou de sair comigo e eu tive que desmarcar por causa de um freela. Então ele saiu com Gabriel, com Iuri (que é um super amigo nosso também) e outros amigos. Acontece que mais tarde eu acabei indo encontrar com ele e, como eles estavam juntos, todo mundo se esbarrou no barzinho, meio que por coincidência. Aí sim nos conhecemos”

Desse “primeiro encontro” até o namoro, bastou menos de um mês. Como veio o pedido? Numa brincadeira Pri disse que só contaria para os pais sobre Gabes se um dia o que os dois tinham se tornasse um ‘namoro sério’. O menino, claro, aproveitou a deixa, a Pri esquivou, mas depois de um tempinho acabou dizendo que sim. Sobre o casório?

“Não teve pedido de casamento. O que mais se aproximou de um noivado foi o dia que fomos marcar a data na igreja. Fomos lá sozinhos e combinamos tudo com o padre. Voltamos e contamos pros nossos pais, familiares e amigos mais próximos. Aí sim começou a coisa do ‘o casamento vai acontecer’”. 

E aconteceu! Cinco anos depois do primeiro ‘sim’. ♥

 

♥ Defina suas prioridades. Pra algumas pessoas, o vestido dos sonhos é o mais importante. Pra outras é a festa de princesa. Pra gente era ter as pessoas curtindo esse dia de uma forma leve e divertida conosco. Então fizemos tudo pensando nisso.

♥ Nem tudo vai sair perfeito. O negócio é respirar fundo e partir pro plano B. Se não tiver plano B, não desespera também. Tudo se resolve de alguma forma.

♥ Não se prenda a rótulos ou protocolos se você não se enxerga neles. Antes de tudo, o casamento é pros noivos! Depois que esse dia passar, o que fica são as memórias de tudo que aconteceu… E pelo menos a gente não queria olhar e não se reconhecer na nossa própria festa, que celebrava a nossa união.

 

Amamos essa história! E você?

♥ Todo amor do mundo para esses dois! ♥


Fornecedores:

Identidade visual, convites e papelaria: Noivo – Celebrante: Padre Gilmar Música – Música: Lucas Escamilha, Pedro Sabino, Ju Herdy e Carol Magliano – Local da Festa: Sítio Recanto dos Vassalo Fotografia: Dafne Bastos – Conceito e referências da festa: Noivos – Buffet, decoração e cerimonial: Tatiana Lemos – Le ParadisBolo: Juliana Falcão – Chocobella com lettering do noivo – Quadros de giz/lettering: Gabriel Santos Lettering (o noivo) – Som: estrutura DJ Diego Carvalho e playlists Iuri Cereja e Priscilla Souza – Serviço de van: Ernani Hovernek – Vestido noiva: O Amor É SimplesArranjo e véu: Noiva – Buquê noiva e dama: Aline Froese – Froese Ateliê FloralSapato: sandália Arezzo + all star branco – Alianças: Relojoaria Lanco – Corsage madrinhas, arranjos e acessórios daminhas: feitos pela Noiva – Gravatas do noivo e padrinhos: feitos pela Noiva – Beleza: Sandra Hovernek e Jhennifer Hovernek – Unhas: Géssica Hovernek

Veja também...

4 comments on “Pri & Gabes | Uma comemoração despojada e super criativa”

  1. admin disse:

    Que máximo ler esse comentário, Tallita!! Muito obrigada pelo carinho! Não deixe de continuar acompanhando a gente =D <3

  2. Tallita disse:

    Conheci o blog por esta postagem, no O Amor é Simples e me encantei… Ganharam mais uma leitora. ❤

    Amei o casamento muito intimista e a cara dos noivos, como deve ser. Felicidade!! 👏👏😍🙏

  3. admin disse:

    Oi, Sara! Uma graça de casório, né? Adicionamos a listinha de Fornecedores no fim do post para te ajudar e colocamos links naqueles que os noivos nos passaram o contato. Vale lembrar que muitos detalhes foram elaborados pelos próprios noivos. 😉 Espero que te ajude! Um beijo!

  4. Sara disse:

    Olá.
    Amei tudo, felicidades ao casal!
    Vocês têm os contatos dos fornecedores?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *